31964

Hinduísmo: A Religião Mais Antiga do Mundo

O Hinduísmo é uma das religiões mais antigas do mudo, seguida por um bilhão de pessoas, o que faz dela a terceira maior religião do mundo. A maioria dos hindus está no subcontinente indiano. Todavia, eles só são uma maioria religiosa na Índia e no Nepal. A Índia tem uma população hindu de 890 milhões.

O hinduísmo é também uma religião antiga que alguns estudiosos alegam ser a religião mais antiga do mundo, e alguns afirmam que ela é a religião mais antiga em atividade. As religiões indianas mais antigas datam de 5500 - 2600 a.C., enquanto os Vedas, os textos mais importantes sobre o hinduísmo, foram escritos no período de 1000 - 100 a.C., mas até hoje, alguns deuses locais ainda são adorados, apesar de serem de antes dos Vedas.

Hinduísmo

O hinduísmo não tem um sistema de crenças uniforme, ele pode ser uma combinação entrelaçada e multicamadas e às vezes, contraditória. Essa combinação é o produto de um longo processo de adoção de muitas ideias e crenças locais. Não existe um único Deus, nenhum profeta, nenhum fundador, uma maneira única de salvação, nenhum modelo filosófico unificado. "O hinduísmo não pode ser definido, ele só pode ser experienciado", diz o ex-presidente indiano Sarvepalli Radhakrishnan.

O hinduísmo tem termos diversos de divindade, onde certas seitas acreditam em múltiplos deuses, contrariamente ao monoteísmo e o ateísmo. Essa diversidade se estende para incluir o conceito de divindade, já que não existe um conceito sobre a definição de Deus no hinduísmo. Nas seitas que adotam o sistema de politeísmo, nós encontramos deuses masculinos, como Brahma o criador, Vishnu o protetor e Shiva o destruidor; deuses femininos como Lakshmi, e as encarnações terrenas de deuses como Krishna e Rama.

Os hindus acreditam na importância dos bons atos e da moral para a salvação do homem, acreditando na reencarnação da alma em outro corpo após a morte, no que é conhecido como samsara ou o ciclo da vida. Os hindus acreditam que a alma é carregada de um corpo para outro após a morte e não pode ser salva desse ciclo exceto através do moksha, onde o espírito é libertado desse ciclo e isso é feito de duas maneiras: ou através do amor e da devoção, ou a salvação através da meditação, de acordo com diferentes escolas do hinduísmo.

As Escrituras

Os textos hindus são divididos em duas partes: Shruti e Smriti, alguns dos quais são as mais antigas das escrituras em sânscrito e compreende uma variedade de poemas religiosos, folclóricos e épicos.

Festivais religiosos

Diwali (Festival das Luzes)

É celebrado no outono e simboliza o triunfo do bem sobre o mal, e o triunfo da luz sobre as trevas. Hindus, jainistas, siques e muitos indianos o celebram como um evento cultural. Ele é celebrado iluminando velas de formas extravagantes e acendendo fogos de artifício.


Holi (Festival da Cor)

É celebrado na primavera entre o último dia de fevereiro e 1.º de março numa despedida ao inverno e dando as boas-vindas à primavera. A tradição religiosa fala da queima de Holika, a irmão do rei dos demônios. O festival é realizado em muitas cidades indianas e é uma grande atração turística, onde muitos turistas vêm para participar do festival e jogar tintas coloridas uns nos outros.


Dussehra

Uma enorme celebração realizada no fim dos nove dias de Navaratri e a décima noite é a noite de Dusheira. Como a maioria dos feriados hindus, ele é celebrado com nomes diferentes e por razões diferentes em várias partes do subcontinente indiano. Em algumas áreas, ele é celebrado como o triunfo do deus Rama sobre o rei dos demônios, e em outros lugares ele é uma comemoração do triunfo da deusa Durga sobre o demônio búfalo Mahishaswara.

As cerimônias incluem peças narrando o heroísmo de Rama e a queima de esculturas de madeira de seus inimigos. Nas áreas onde a deusa Durga é celebrada, ela é cultuada pela realização de competições esportivas e demonstrações militares em sua honra.


Ganesha Chathurthy

Uma grande celebração realizada em honra a Ganesha, o patrono das artes e deus da sabedoria e do conhecimento. A cerimônia é de grande importância na Índia e atrai mais multidões e crentes Maharashtra. O ritual se baseia em colocar flores nas casas e decorá-las com estátuas de argila do deus Ganesha. No fim do festival, a estátua é colocada na água para se dissolver e acredita-se que Ganesha está retornando para o seu lugar no Monte Kailash.


Rakhsha Bandhan

Celebrado como uma expressão do amor fraternal entre irmãos e irmãs, onde a irmã amarra um bracelete ao redor do pulso do irmão e o irmão presenteia a irmã com um pedaço de doce e faz um voto de proteger e servir à sua irmã. A celebração agora é simbólica, mas é celebrada como um evento social que instila valores virtuosos na sociedade.